Paula Lourenço

Paula Lourenço

Sobre

Escrever sobre a Paula é um desafio enorme, não porque falte que escreva, mas porque são poucas as palavras que descrevam este furacão da comunicação.

Recordo-me perfeitamente de quando a conheci, foi no primeiro curso de apresentadores de tv que fiz. A empatia foi instantânea, foi como se aqueles olhos azuis que pela primeira me viam, já me conhecessem uma vida inteira, aqueles olhos brilhantes que nesse mesmo dia já viam o potencial que estava escondido em mim.

Criativa, sensitiva, com um coração do tamanho do mundo, foi a Paula que me ensinou que a melhor forma de comunicar é sermos apenas nós próprios.

Aprender e trabalhar com a Paula foi das experiências mais brutais que já tive enquanto comunicador. Uma mulher à frente do seu tempo, acelerada por natureza, por isso vive e agarra a Vida intensamente, que comunica como ninguém, desde a forma como fala à forma com nos olha, a informação que nos passa é recebida de uma forma tão natural e eficaz, que mais parece que estamos a fazer um download direto para o nosso cérebro.

Enquanto realizadora, a sua criatividade e disponibilidade para a equipa são incomparáveis, acredita sempre no nosso valor, é só nos deixar levar, é como se fosse a nossa mãe que está sempre ali a dizer: vai tu consegues…

Mas como qualquer mãe também é exigente, não é por acaso que carinhosamente lhe chamam a “mãe general”, mas não se assustem nunca exige nada que não consigamos.

Os cursos acabaram, já não trabalhamos juntos, mas tenho a honra de continuar a ter a Paula no meu circulo de amizades.

Como amiga, a Paula traz consigo o calor o calor do Namibe, terra que a viu nascer, generosa e sempre pronta a ajudar. Sempre de sorriso estampado no rosto inspira que nós, tal como ela perante as adversidades da vida (que ela também as tem) consigamos sempre dar a volta, até como a própria diz se acreditarmos conseguimos tudo.

Poderia até escrever mais mas caracterizar uma mulher que possui a força de uma fênix, com uma capacidade de se reinventar a cada momento, faz com que sejam sempre poucas as minhas palavras.

Será sempre uma pessoa que quero ter por perto e a quem estou para sempre grato.

Texto de Vítor Brites, formando do Curso de Apresentadores de TV e locutor de rádio e escritor

Todas as sessões de Paula Lourenço